Blog do estado de

São Paulo . SP

Home
Artigos
Utilidade pública


 
 




A História do Carnaval Paulistano

 
No ano de 1604, vinham à tona as primeiras pautas apresentadas referente às festas ocorrentes na Cidade de São Paulo pela Ata da Câmara Municipal. Na época a manifestação cultural ainda não era autorizada, e em resposta aos atos ali apresentados na Câmara, a manifestação foi considerada um atentatório aos bons costumes sociais, continuando dentro da ilegalidade e sem a aprovação dos órgãos superiores da Cidade.
 
Sempre muito ligada à própria evolução política, econômica e social, as grandes mudanças culturais e tecnológicas de São Paulo, a festa já apresentava em seu contexto uma identidade, própria da cidade paulistana. Estas manifestações, tratadas como bailes em 1830 tinham seu termino à meia-noite, pois sociedades recreativas voltadas para a comunidade negra, os principais precursores do Carnaval na cidade, não eram bem vistas por grande maioria da população, mesmo com a popularização rápida da festa.
 
Os Moçambiques, congadas e batuques eram reprimidos e foram substituídos pela dança do Caiapó, mas essa também era combatida pelas autoridades municipais, como pode ser verificado nas Atas da Câmara.
 
O marco inicial do carnaval moderno:

A marquesa de Santos segundo historiadores foi à inspiração para a criação do moderno Carnaval de São Paulo. A então dama da noite que tinha o maior prestígio na sociedade paulistana usava sua casa conhecida como Palacete do Carmo, para receber dezenas de convidados para bailes históricos de carnaval, que a essa altura já não era mais coisa de comunidades negras e sua identidade perante a Prefeitura e Estado já estava dentro dos padrões aceitáveis pela sociedade.
Com o carnaval legalizado foi uma questão de tempo para que desfiles pela cidade fossem organizados. O primeiro desfile promovido pelo poder público aconteceu no ano de 1934, quando o Prefeito Fábio da Silva Prado criou o departamento de Cultura e Recreação e destinou verba, coletada entre seus amigos, para financiar o evento. O vencedor do concurso foi o rancho Diamante Negro seguido de Vim do Sertão e na categoria blocos, o primeiro lugar ficou com os Fenianos. Para Cordões, a vitória foi dos Garotos Olímpicos, seguido por Camisa Verde. 

O primeiro Carnaval Oficial de São Paulo só viria a acontecer no ano seguinte, em 1935, organizado pelo jornal Correio de São Paulo e patrocinado pelo Centro de Cronistas Carnavalescos. Os grupos foram divididos em categorias como é hoje, e houve também uma premiação. O total de escolas de Sampa que já se apresentaram no Carnaval é de 215, desde 1968.


Escolas de Sampa do Grupo Especial 2015:

Leandro de Itaquera, Rosas de Ouro, X9 – Paulistana, Dragões da Real, Acadêmicos do Tucuruvi, Vai-Vai, Tom Maior, Perola Negra, Gaviões da Fiel, Mocidade Alegre, Nenê de Vila Matilde, Águia de Ouro, Império de Casa Verde, Acadêmicos do Tatuapé.


Escolas de Sampa do Grupo de acesso 2015:

Colorado do Brás, Morro da Casa Verde, Unidos da Peruche, Camisa Verde e Branco, Imperador do Ipiranga, Unidos da Vila Maria, Mancha Verde, Estrela do Terceiro Milênio.



Matéria publicada no dia: 12/01/2015



Compartilhar






Blog do Estado de São Paulo . SP
 
A legal replica manufacturer will produce and sell an item with a replica watches sale similar quality and design, but will not use the designers name. They will make it very clear that is rolex replica sale only a simulation. On the other hand, an illegal replica manufacture will produce and sell items that replica watches sale look like designer brands and try to pass them off as authentic by using the rolex replica uk designer's name. So, If your reason for wanting to purchase a fake rolex sale is based on fine craftsmanship and the prestige of owning such a watch, but you cant afford one, you may want to consider a breitling replica the same quality at a fraction of the cost. Though the categorization is rather ambiguous, watches exclusively designed so as to create a style statement commonly fall under the category of designer watches.